Atividades Educativas: Aprende e use para o bem, para Jesus Cristo
           
Pesquisar no site:
Fale conosco
Direitos autorais
Ajuda





















A Alegoria da Caverna - Imagina agora o estado da natureza humana com respeito à ciência e à ignorância, conforme o quadro que dele vou esboçar. Imagina uma caverna subterrânea que tem a toda a sua largura uma abertura por onde entra livremente a luz e, nessa caverna, homens agrilhoados desde a infância, de tal modo que não possam mudar de lugar nem volver a cabeça devido às cadeias que lhes prendem as pernas e o tronco, podendo tão-só ver aquilo que se encontra diante deles. Nas suas costas, a certa distância e a certa altura, existe um fogo cujo fulgor os ilumina, e entre esse fogo e os prisioneiros depara-se um caminho dificilmente acessível. Ao lado desse caminho, imagina uma parede semelhante a esses tapumes que os charlatães de feita colocam entre si e os espectadores para esconder destes o jogo e os truques secretos das maravilhas que exibem.
- Estou a imaginar tudo isso.
- Imagina homens que passem para além da parede, carregando objectos de todas as espécies ou pedra, figuras de homens e animais de madeira ou de pedra, de tal modo que tudo isso apareça por cima do muro. Os que tal transportam, ou falam uns com os outros, ou passam em silêncio.
- Estranho quadro e estranhos prisioneiros!
- E, no entanto, são ponto por ponto tal qual como nós. Em primeiro lugar, julgas que percepcionarão outra coisa, de si mesmos e dos que se encontram a seu lado, além das sombras que na sua frente se produzem, no fundo da caverna?
- Que outra coisa poderão ver, pois que, desde o nascimento, foram compelidos a conservar a cabeça permanentemente imóvel?
- Verão, apesar disso, outras coisas além dos objectos que passam à sua rectaguarda?
- Não.
- Se pudessem conversar uns com os outros, não concordariam em dar às sombras que vêem os nomes dessas mesmas coisas?
- Sem dúvida.

- E se no fundo da sua prisão houvesse eco que repetisse as palavras daqueles que passam, não imaginariam que ouviam falar as sombras mesmas que desfilam diante dos seus olhos?
- Sim.
- E, por fim, não julgariam eles que nada existiria de real além das sombras?
- Não há dúvida.
- Pensa agora naquilo que naturalmente lhes aconteceria se fossem libertados das suas cadeias e se fossem elucidados acerca do erro em que estavam. Liberte-se um desses cativos, e que ele seja obrigado a levantar-se imediatamente, a voltar a cabeça, a andar e a enfrentar a luz: nada disso poderá fazer sem grande esforço; a luz encandear-lhe-á a vista e o deslumbramento produzido impedi-lo-á de distinguir os objectos cujas sombras via antes. Que julgas tu que responderia se lhe dissessem que até então apenas vira fantasmas e que agora tem ante os olhos objectos mais reais e mais próximos da verdade? Se lhe mostrarem imediatamente as coisas à medida que se forem apresentando, e se for obrigado, à força de perguntas, a dizer o que é cada uma delas, não ficará perplexo e não julgará que aquilo que dantes via era mais real do que aquilo que agora se lhe apresenta?
- Sem dúvida.
- E se o obrigassem a enfrentar o fogo, não adoeceria dos olhos? Não desviaria os seus olhares, para dirigi-los para a sombra, que enfrenta sem dificuldade? Não julgaria que essa sombra possui algo de mais claro e distinto do que tudo quanto se lhe mostra?
- Certamente.
- Se agora o arrancarmos da caverna e o arrastarmos, pela senda áspera e fragosa, até à claridade do Sol, que suplício o seu por ser assim arrastado! Como está furioso! E, uma vez chegado à luz livre, os olhos ofuscados com o fulgor dela, poderia ver alguma coisa da multitude de objectos a que chamamos seres reais?
- De início ser-lhe-ia impossível.
- Necessitaria de tempo, sem dúvida, para se acostumar a eles. Aquilo que distinguiria melhor seria, em primeiro lugar, as sombras; e, logo a seguir, as imagens dos homens e dos mais objectos, reflectidos à superfície das águas; por fim, os próprios objectos. Daí volveria os olhos para o céu, cuja visão suportaria com maior facilidade durante a noite, à luz da Lua e das estrelas, do que durante o dia, à luz do Sol.
- Sem dúvida.
- Por fim, encontrar-se-ia em condições, não só de ver a imagem do Sol nas águas e em tudo aquilo em que se reflicta, como de olhá-lo e contemplar o verdadeiro Sol no seu verdadeiro local.
- Sim.
- Depois disto, pondo-se a reflectir, chegaria à conclusão de que o Sol é o que determina as estações e os anos, e o que rege todo o mundo visível e que, de certo modo, é causa daquilo que se via na caverna.
- É evidente que chegaria gradualmente a tais reflexões.
- E se, então, se recordasse da sua primeira habitação e da ideia que aí formavam da sabedoria, ele e os seus companheiros de escravidão, não se regozijaria com a mudança e não teria compaixão da desgraça daqueles que permaneciam cativos?
- Certamente.
- Crês tu que agora ele sentisse ciúmes das honras, das vaidades e recompensas ali outorgadas àquele que mais rapidamente captasse as sombras, àquele que com maior segurança recordasse as que iam atrás ou juntas e por tal razão seria o mais hábil em prever a sua aparição, ou que invejasse a condição daqueles que na prisão eram mais poderosos e mais honrados? Não preferiria, como Aquiles, segundo Homero, passar a vida ao serviço dum pobre lavrador e sofrê-lo, a voltar ao seu primeiro estado e às suas primitivas ilusões?
- Não duvido de que preferiria suportar todos os males possíveis a voltar a viver de tal modo.
- Atenta, pois, nisto: se regressasse novamente à sua prisão, para voltar a ocupar nela o seu antigo posto, não se acharia como um cego, na súbita passagem da luz do dia para a obscuridade?
- Sim.
- E se, no entanto, ainda não distinguisse nada e, antes que os seus olhos se houvessem refeito, o que apenas poderia acontecer depois de muito tempo, tivesse de discutir com os mais prisioneiros sobre essas sombras, não se tornaria ridículo aos olhos dos outros, que diriam dele que, por ter subido até lá acima, perdera a vista, acrescentando que seria uma loucura o eles pretenderem sair do lugar onde se encontravam, e que, se alguém se lembrasse de tirá-los dali e levá-los para a região superior, se tornaria necessário prendê-lo e matá-lo?
- Indiscutivelmente.
- Pois, meu querido Glauco, é essa, precisamente, a imagem da condição humana. A caverna subterrânea é este mundo visível; o fogo que a ilumina, a luz do Sol; o prisioneiro que ascende à região superior e a contempla é a alma que se eleva até à esfera do inteligível. É isto, pelo menos, o que penso, já que o queres conhecer, mas só Deus sabe se é certo. Pelo que me toca, a coisa afigura-se-me tal como te vou comunicar. Nos últimos limites do mundo inteligível encontra-se a ideia do bem, que só com dificuldade se percebe, mas que, todavia, não pode ser percebida sem que se conclua que ela é a causa primeira de quanto há de bom e de belo no universo; que ela, neste mundo visível, produz a luz e o astro do qual a luz irradia directamente; que, no mundo visível, engendra a verdade e a inteligência; que é preciso, enfim, ter os olhos fitos nessa ideia, se quisermos conduzir-nos honestamente na vida pública e privada.
- Na medida em que pude compreender a tua ideia, concordo contigo.
- Tens, pois, de admitir e não estranhar que aqueles que alcançaram essa sublime contemplação desdenhem da intervenção nos assuntos humanos e que as suas almas aspirem, incessantemente, a fixar-se nesse lugar eminente. Assim deve ser, se isto está em conformidade com a pintura alegórica que esbocei.
- Assim deve ser.

Platão, in 'República'
Fonte do texto: http://www.citador.pt



Atividade: 9713 - Piteco em: As sombras da vida - Mito da caverna

Descrição: A alegoria da caverna, também conhecido como parábola da caverna, mito da caverna ou prisioneiros da caverna, é uma alegoria de intenção filósofo-pedagógica, escrita pelo filósofo grego Platão.

Disponível nas áreas de: Português Filosofia Sociologia


Postado em: 13/02/2012
Último acesso em: 2017-07-24 16:29:20
Total de acessos: 6835

SUGESTÕES, CRÍTICAS, ELOGIOS,
LINKS QUEBRADOS, PROBLEMAS NA PÁGINA
Por favor, Clique aqui e preencha nosso formulário.9713

Atividades


Quiz: Centenário de Chapecó

Em 2017 Chapecó/SC completa 100 anos. Teste seus conhecimentos sobre esta cidade centenária.

Os troncos adornados indígenas

Esconda bem os tambores mágicos atrás das árvores sem sobrar ou faltar espaço.

Chico na ilha dos jurubebas: Vestindo o Ozo

Monte o quebra-cabeça e descubra o lugar que o Monstruoso vai visitar.

Índios

Diversas atividades sobre a cultura indígena.

O Triângulo do Baião

O triângulo do baião foi perdido dentro do labirinto. Para encontrá-lo acerte os cálculos e assim de...

Quebra Cabeça do Smilinguido

Coloque as peças do quebra cabeça nos lugares corretos para montar a imagem da formiguinha Smilingui...

Jogo de memória: Centenário de Chapecó

Jogo de memória com imagens da cidade de Chapecó/SC, que completa 100 anos em agosto de 2017.

Jogo Sítio do Picapau Amarelo: Colorir Emília e Tia Nastácia

Vamos colorir a cozinheira de mãos cheias Tia Nastácia do Sítio do Picapau Amarelo, junto com a bone...

Descobrindo petróleo - Combinação maluca

Um cientista brilhante está em seu laboratório estudando objetos e fazendo combinações. Misturand...

Palavras com B OU P

Observe a imagem e em seguida clique na letra correta para completar a palavra.

Jojo's Funny Farm Parade - Capture os animais do circo

Ajude o palhaço a capturar os animais que fugiram do circo antes que o tempo acabe. Vá ao encontr...

Jogo da nova ortografia

Teste seus conhecimentos da nova ortografia (que não é tão nova assim...) para a língua portuguesa.

Jogo de memória

Será que sua memória está funcionando direitinho? Com esse jogo da memória você vai poder conferir!

Pou at the farm - Fazenda do Pou

Vamos brincar de fazendinha! Mostre que você é um excelente fazendeiro ajudando o Pou administrar su...

Desafio das verduras e legumes

Observe a imagem e clique na palavra que a identifica.

Máquina do tempo

O cientista brilhante criou uma máquina do tempo para descobrir quanto tempo alguns objetos do dia a...

Atividade com números

Três atividades com números ordinais e dezenas.

Chapeuzinho Vermelho

Atividades envolvendo a história de Chapeuzinho Vermelho. 1. COMPLETA A CRUZADINHA. 2. LÊ A HISTÓR...

Jogo da velha

Jogue o clássico jogo da velha contra o computador. O objetivo é fazer uma fileira de 3 com X ou 0. ...

Train - O trem de Calliou

Ajude Calliou a montar corretamente os trilhos para o trem poder chegar ao seu destino.

Jogo da horta

Vamos cuidar de uma horta e quando as hortaliças (legumes, verduras, frutas, etc) estiverem prontas ...

Jogo das frutas

Diversas atividades (caça-palavras, memória, relacionar, etc.) com imagens/palavras de frutas.

Construção Sustentável - Dicas para planejar bem sua obra

Indicações ajudam a amenizar impactos sobre o meio ambiente, além de baratear a manutenção da constr...

Memory Math Game - Memória Matemática

Encontre nos números iguais.

Capicúia: Ábaco

Represente no ábaco o número indicado. Quando acabar, pressione o botão 'Comprobar'.

Guia de Carreiras: Enfermagem

Quer ser enfermeira(o)? Então, conheça um pouco sobre essa nobre profissão. O que faz, área de atuaç...

Comprar À vista ou Parcelado - O que é mais vantajoso

Comprar à vista ou parcelado é uma questão de estratégia, de entender o que é mais vantajoso. Para ...

Coleção de Bonecos e Bolas

Complete as coleções de acordo com as quantidades que se pedem.

Mathris

Baseado no tradicional Tetris. Escolha Adição, Subtração ou Multiplicação (ou ambos) e o nível de di...

Table Tennis - Tênis de Mesa - Ping Pong

Enfrente o computador em uma partida de tênis de mesa.

Guia de carreiras: Química

Quer ser um químico, um cientista? Conheça as áreas de atuação e a formação.

Corujito

O Corujito quer sua ajuda para organizar as palavras que tem o mesmo som e também organizar o alfab...

Quantidade na nuvem

Observe o número ao lado da nuvem e arraste os objetos para dentro dela conforme a quantidade indic...

Criação de animais

Cada criação de animais possui um nome específico. A apicultura é responsável pelo quê? Descubra arr...

Guia de carreiras: Dança

Quer ser bailarina(o)? Conheça as diferentes possibilidades na carreira desse profissional.

Jig Saw Doku

Jig Saw Doku é uma variante de Sudoku, use seu cérebro e monte o quadrado posicionando corretamente ...

Capicúia 2 - Maior, menor ou igual

Compare se os números são maiores, menores ou iguais e arraste os sinais para o lugar correspondente...

O dobro

Conte os objetos e calcule o dobro. Após, pressione o botão com a resposta correta.

Memória de Adição/Somar

Encontre as operações de adição equivalentes (operação e resultado).

Capicúia 1 - Unidades e Dezenas

Represente com bolinhas o número indicado. Quando acaber, clique no botão 'Comprobar'.

Desafio de adição

Um numeral aparecerá em destaque no alto da tela. Cliquem em 2 números diferentes que somados result...

Pencil Puzzle - Quebra-cabeça do Lápis

Contorne o desenho com o lápis, mas não passe duas vezes no mesmo lugar.

Memória da Subtração

Encontre as imagens equivalentes: Operação de subtração e seu resultado.

Maths Genius - Gênio da Matemática

Teste sua capacidade de raciocínio matemática em Adição, subtração, Multiplicação e Divisão responde...

IMC - Cálculo de Índice de Massa Corporal

Digite sua idade, peso, altura e veja se você está com o peso ideal, sobrepeso, obeso ou subnutrido.

Memória de Divisão

Teste sua capacidade de memória e de fazer divisões. Esse é um jogo da memória de matemática! P...

Dicas para uma boa prova no vestibular

Professores, psicólogos e nutricionistas dão dicas de como se preparar para fazer uma boa prova no v...

A escolinha do mar

Diversas atividades (Português/Ciências) com base no livro 'A escolinha do mar' de Ruth Rocha.